Nova integrante da equipe Web5

8 julho 2009

Desde Junho/2009 a equipe Web5 conta com o trabalho de Kátia Pires, nova responsável pela estrutura administrativa e atendimento ao cliente.
Seja bem-vinda!

Inauguração do CTI (Centro de Tecnologia da Informação)

28 janeiro 2009

Mercado popular virtual: classe C adere ao Comércio Eletrônico

5 dezembro 2008

Reportagem do programa Pequenas Empresas Grandes Negócios (Rede Globo).  

Web influencia compra de metade dos internautas brasileiros

1 dezembro 2008

Fonte: Adnews

Uma fatia cada vez maior de brasileiros utiliza a internet como plataforma ativa de consumo. Essa é uma das conclusões da terceira edição do levantamento sobre Internet no Brasil, realizado pela F/Nazca com o apoio operacional do Datafolha.

Dos 64,5 milhões de internautas com mais de 16 anos identificados pela pesquisa, 55% já incluíram algum conteúdo na rede, 51% citam a busca de informação como principal motivo da navegação e 48% levam em consideração a opinião de seus pares publicada na Internet, antes de efetuar uma compra. Além disso, 26% deles já publicaram opinião e 20% fizeram reclamação online sobre algum produto ou serviço.

O estudo apontou ainda que o ativismo do consumidor com acesso à internet aumenta, quanto maior forem a renda e a escolaridade. Entre os internautas com ensino superior completo, por exemplo, 45% já publicaram opinião sobre produto ou serviço. Os dados ganham ainda mais relevância quando se leva em consideração o fato de que a assiduidade é um dos pontos mais marcantes do perfil de navegação no Brasil: 87% dos internautas entram na rede pelo menos uma vez por semana e 38% o fazem todos os dias.

Para Fernand Alphen, diretor nacional de planejamento da F/Nazca, esses dados confirmam a tendência irreversível do consumo colaborativo no País. “O famoso boca-a-boca não tem mais limite geográfico. A nossa pesquisa demonstra que o consumidor está se conscientizando cada vez mais do seu poder e utilizando de maneira ativa e inteligente os recursos disponíveis na rede”.

A F/Nazca realiza a pesquisa sobre Internet no Brasil semestralmente. No levantamento de agosto, foram feitas 3.003 entrevistas distribuídas em 172 municípios brasileiros. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, dentro de um nível de confiança de 95%. A amostra foi elaborada com base em informações do Censo 2000 e nas estimativas de 2008.

Banda Larga necessitará de provedor

8 novembro 2008

Comunicado Importante aos usuários do login ‘internet@speedy’

Devido a uma decisão judicial, a Telefônica não poderá mais oferecer o serviço de conexão à internet aos seus clientes Speedy, através do login ‘internet@speedy.com.br’ e da senha ‘internet’.

Dentro de poucos dias o acesso através deste login e senha será bloqueado.

Caso o(a) Sr(a). esteja realizando a conexão à internet exclusivamente através do login e senha fornecidos pela Telefônica, será necessário contratar um Provedor, à sua escolha, para continuar utilizando o Speedy.

Mas não se preocupe. Acesse agora mesmo nosso site (www.speedyvantagens.com.br/provedores) e escolha uma das ofertas especiais de nossos principais provedores parceiros. São diversas opções, incluindo ofertas de acesso grátis.

Mas não se esqueça: após contratar um novo provedor, o Sr(a) deverá atualizar a sua janela de autenticação de internet com o seu novo login e senha antes do 1º acesso.

Caso o(a) Sr(a). já tenha um provedor contratado, basta passar a realizar o acesso à internet utilizando login e senha do seu provedor.

Para maiores informações, entre em contato com a nossa central de relacionamento 103 15.

Atenciosamente, Telefônica [EXTRAÍDO DO SITE DO SPEEDY]

Novo prédio para melhor atender

27 outubro 2008

A WEB5 está de prédio novo na rua Fadlo Jabur 159, Vila Xavier, Assis-SP. O telefone também mudou: 18-3323-4150.

Instalada no “Centro de Tecnologia de Informação” juntamente com as empresas Focus e Ômega Sistemas, para melhor integração do mercado desenvolvedor em nossa região. Veja o Vídeo do evento de inauguração neste blog.

Novos clientes do sistema Super Imob

6 outubro 2008

Com muita alegria comunicamos a entrada de mais duas imobiliárias de Assis-SP em nosso sistema Super Imob: Teto Imobiliária e Nelson Imobiliária.

Comércio Eletrônico: sua empresa ainda está fora?

31 agosto 2008

Diferenças entre o comércio virtual e o tradicional

31 agosto 2008

Como eu tinha dito em posts anteriores, eu tenho uma loja de comércio eletrônico em conjunto com a Dona Maria, minha esposa. A loja virtual foi crescendo e com a necessidade de contratação de mais gente, tivemos que trocar de sala.
Mas já que é pra trocar, por que não abrir uma loja física e manter a loja virtual funcionando no mesmo endereço?
Pois bem, agora temos loja física, mas também descobrimos que o comércio virtual e o tradicional são bastante diferentes. Vou listar algumas diferenças que encontramos até agora:

Pontos Positivos do Comércio Eletrônico
–    Não precisa ter uma atendente bonita na frente da loja;
–    A “loja” pode funcionar no quartinho dos fundos, se tiver que alugar uma sala, com certeza é muuuito mais barato;
–    A loja funciona 24 horas por dia;
–    O risco de roubo é menor;
–    Não é necessário fazer um alto investimento com gôndolas, prateleiras, balcão, caixa, mostruários e etc. Essas coisas são muito caras;
–    A preocupação com decoração da loja, vazamentos no banheiro, produtos empoeirados etc é muito menor;
–    O seu mercado é o mundo, você não precisa só atender aos clientes do seu bairro ou cidade;
–    Não vai entrar ninguém em sua loja oferecendo segurança, salgados, vendendo publicidade em catálogos mais volumosos que a bíblia e etc;
–    Terá poucos problemas com fiscalização da prefeitura reclamando do tamanho do seu toldo ou do tamanho da publicidade da loja. No meu caso nunca entrou ninguém lá, apenas chegou uma taxa de fiscalização;
–    Não tem horário de pico, dá para distribuir melhor as tarefas do pessoal.

Pontos Positivos do Comércio Tradicional
–    Não é necessário embalar os produtos um a um em plástico bolha e depois acomodar em uma caixa para ser despachado;
–    Clientes não têm dúvida com prazo de entrega, tamanho dos produtos, medo de pagar e não receber. Eles simplesmente colocam os produtos em um cesto e passam no caixa. Isso é mágico;
–    Você consegue fazer cross-selling de maneira muito mais simples, uma cliente entrou na loja para fazer uma compra de R$ 300,00 e saiu com R$ 1.600,00 em produtos;
–    Não é necessário ter uma política de devoluções ou logística reversa. Os clientes colocam os produtos no cesto, passam no caixa, pagam e vão embora. É mágico;
–    A taxa de retorno é muito maior, enquanto no site a taxa é de 0,6%.  É isso mesmo, menos de um por cento dos usuários que visitam o site efetivam a compra, na loja física a taxa salta para 60%. Este é o número que tivemos até agora, vale ressaltar que o ticket médio na Internet é maior;
–    As pessoas passam na frente da loja, entram e compram. Na Internet isso não existe, ou alguém indica ou o seu site, ou ele é encontrado por algum buscador;
–    Atendimento mais simples. Na Internet, pelo menos no Brasil, as pessoas têm necessidade de entrar em contato, fazer perguntas para só ai ganhar confiança em fazer a compra;

Resumindo

O comércio eletrônico e o tradicional são complementares e o melhor dos dois mundos é estar nos dois. Mas é importante ter em mente de que são coisas diferentes, pense que esta abrindo um negócio distinto, e é verdade. Faça seu plano de negócios, consulte o Sebrae, enfim, mãos a obra.

(Fonte: Blog Locaweb - Autor: Davi Iglesias)

Organize sua empresa

31 agosto 2008

A WEB5 está representando a linha de produtos da Brazip Tecnologia, com destaque especial para o sistema MySuite, que compreende os seguintes módulos:
– Atendimento On-Line: atenda seus clientes diretamente no seu site.
– Help Desk: organize os chamados de suporte técnico;
E mais: Gerenciador de Tarefas e Gestão do Conhecimento.
Entre em contato e conheça essas ferramentas para gerenciamento do seu negócio.
[Adriano Romagnoli]


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.